Segurado do INSS tem acesso ao resultado da perícia médica na data do exame

A partir do mês de abril de 2017 o INSS passou a informar o resultado da perícia médica no mesmo dia em que a mesma foi realizada. Anterior a esta data o segurado tinha que esperar em média 20 (vinte) dias o resultado da perícia médica, através de uma carta enviada pelo INSS no endereço do segurado.

Como obter o resultado da perícia médica do INSS?

O resultado do exame médico, da perícia esta disponível ao trabalhador, segurado a partir das 21 horas da mesma data em que foi realizado o exame.
O trabalhador segurado tem várias maneiras de saber/conferir o resultado da perícia médica, uma delas é acessando o site; www.previdencia.gov.br clicando em “consulta de situação de benefício” a esquerda da tela, informando o número do benefício, nome completo , data de nascimento e CPF, preenchendo também o campo de verificação com as letras e os números que aparecerem no retângulo colorido.

Outra forma do trabalhador segurado saber o resultado da perícia médica é pelo telefone. Antes de ligar para o número 135 cujo horário de funcionamento é de segunda-feira à sábado das 7 horas da manhã as 22 horas, o trabalhador segurado deve saber informar o número do benefício, o CPF, e a data de Nascimento.

O que é auxílio-doença?

O trabalhador segurado, tem direito ao auxílio-doença quando perde a capacidade de trabalho por um determinado período. A referida perda da capacidade laborativa pode ser devido a um acidente, que pode ou não ter relação com o trabalho.
Este benefício é pago pelo INSS enquanto o trabalhador segurado estiver realizando tratamento médico. Se for constatada através de perícia médica que a incapacidade para exercer a sua atividade é para sempre, o trabalhado segurado vai receber a aposentadoria por invalidez, desde que o INSS esteja sendo pago corretamente.

O benefício só é concedido ao trabalhador segurado após ser submetido a uma perícia médica, depois de um agendamento pelo 135 ou pelo site; www.previdencia.gov.br

Que documentos o trabalhador segurado deve levar no dia da realização da perícia médica pelo INSS?

Após o agendamento da perícia médica pelo telefone 135 ou pelo site; www.previdencia.gov.br o(a) trabalhador (a) segurado (a) deve comparecer no dia e hora agendado e levar os exames médicos, laudos médicos que comprovem a sua doença.

Quais são os requisitos essenciais que deve conter um laudo médico ?

No caso do laudo médico, o mesmo deve ser legível e sem rasuras, confirmando a doença, o mesmo deve ter informações corretas, completas sobre o estado de saúde do trabalhador segurado. Como data de início da incapacidade, deixar bem claro se as sequelas são devidas a acidente, a forma de tratamento ,tempo previsto para o tratamento, descrição da doença, limitações do paciente e o número do CID (classificação internacional da doença) assinatura do médico com o número de registro no Conselho Regional de medicina.

Se o trabalhador segurado tiver o benefício negado pode recorrer através de recurso no próprio posto do INSS, contratar um advogado especialista no assunto, ou um defensor público.

E no caso das trabalhadoras domésticas a legislação trabalhista vigente garante os mesmos direitos que as demais trabalhadoras de outras categorias, após muitos anos de lutas. Estão garantidos as trabalhadoras domésticas os direitos trabalhistas e previdenciários como licença -maternidade, de 120 (cento e vinte dias) sem prejuízo do emprego e do salário, sendo que a empregada doméstica recebe o seu salário direto da previdência, com base na última remuneração, limitada ao teto da previdência, independente do período de carência, com qualquer tempo de registro em carteira de trabalho e recolhimento do INSS.

O que comprova o direito da empregada doméstica a licença maternidade (recebimento do salário) é a certidão de nascimento da criança, exceto nos casos de aborto não criminoso, ou da licença acontecer antes do parto, neste caso a empregada doméstica deverá apresentar o atestado médico.

No caso de parto antecipado, a empregada doméstica, terá direito a 120 dias.

No caso de aborto não criminoso, a empregada doméstica tem direito a 15 (quinze) dias de afastamento pelo INSS.

A licença-maternidade também será devida a segurada que adotar ou obtiver a guarda judicial, para fins de adoção de criança.

O requerimento do salário-maternidade seja por parto, adoção, ou guarda judicial pode ser feito pessoalmente em agência da previdência social ou pela internet pelo site www.previdencia.gov.br
Se o requerimento for feito pela internet, deverá ser impresso, assinado pela empregada doméstica e entregue na agência do INSS, juntamente com cópia do CPF da requerente e do atestado medico original ou cópia autenticada, da certidão/registro de nascimento da criança.

Durante o período em que a empregada doméstica tiver recebendo o auxilio maternidade, o empregador doméstico deve manter o pagamento do seguro-acidente de trabalho, da contribuição previdenciária a seu encargo, sendo que quanto ao desconto do INSS da empregada doméstica o próprio INSS tem a responsabilidade de fazer o devido desconto no pagamento do benefício.
O FGTS – fundo de garantia por tempo de serviço,e a parcela indenizatória também deverão serem recolhidas pelo empregador doméstico, durante o período de licença-maternidade da empregada doméstica.

Estabilidade da empregada doméstica no emprego devido a gravidez.

O artigo 25 da Lei complementar 150/2015 confirma a estabilidade da empregada doméstica desde a confirmação da gravidez até 5(cinco) meses após o parto,esta estabilidade já esta prevista na alínea “b” do inciso II do artigo 10 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias(Constituição Federal).
Esta estabilidade esta garantida a empregada doméstica mesmo no período que tenha sido demitida sem justa causa e estiver cumprindo aviso prévio trabalhado, ou aviso prévio indenizado.

Auxílio doença dos trabalhadores domésticos.

No caso do trabalhador doméstico o auxílio doença é pago pelo INSS desde o primeiro dia de afastamento, é diferente dos demais trabalhadores de outras categorias, e doenças como (tuberculose ativa, hanseníase, alienação mental, cegueira, paralisia irreversível e incapacitante, cardiopatia grave, doença de parkinson, espondiloartrose anquilosante, nefropatia grave, estado avançado da doença de paget, (osteíte deformante) síndrome da deficiência imunológica, adquirida – AIDS, e contaminação por radiação com base em conclusão da medicina especializada,não existe carência para o empregado doméstico conseguir o benefício do auxílio doença pago pelo INSS.

Para o trabalhador doméstico obter afastamentos por outras doenças que não constam na lista acima, a carência é de 12 (doze) meses de contribuição ao INSS.

O empregado doméstico tem o prazo de até 30 (trinta) dias após a confirmação da incapacidade de trabalhar para requerer o benefício, através do preenchimento e apresentação do requerimento. Se o requerimento for preenchido e entregue após o trigésimo(30) dia da constatação da incapacidade laborativa do trabalhador doméstico o auxílio doença será concedido a contar da data do requerimento (artigo 72 do Decreto 3.048 de 6 de maio de 1.999)

Sempre que o empregado doméstico tiver problema de saúde,ficar doente, desde que tenha registro na carteira de trabalho e previdência social, deve entrar em contato com a previdência social e agendar no número 135 a realização de uma perícia médica e sendo constatada pelo médico a doença, este trabalhador vai receber o auxilio-doença, através da previdência social (INSS) desde o primeiro dia de afastamento.

A Lei complementar 150/2015 também garante ao trabalhador doméstico outros benefícios como seguro contra acidente de trabalho.Todos os meses o empregador doméstico tem a obrigação de pagar 0,8 sobre o valor da remuneração, salário do empregado doméstico.

Existe estabilidade de retorno ao trabalho do trabalhador doméstico após o auxílio-doença?

Quando o empregado doméstico estiver afastado por auxílio-doença, e retornar ao trabalho após ter sido autorizado pelo médico, geralmente não tem estabilidade de retorno ao trabalho, mas o empregador doméstico deve observar, se existe alguma convenção coletiva de trabalho, acordo coletivo de trabalho, assinados pelos Sindicatos Patronal dos empregadores domésticos e dos empregados domésticos,protocolados pelo Ministério do trabalho e se neste documento consta alguma cláusula que determine estabilidade ao empregado doméstico, após o retorno do auxilio-doença.

Se a convenção coletiva de trabalho ou acordo coletivo de trabalho não constar nada, não tiver nenhuma cláusula que assegure estabilidade após o retorno ao trabalho do auxílio-doença, o empregador doméstico pode demitir o empregado doméstico sem justa causa, se achar necessário, mas se tiver alguma clausula que determine estabilidade após retorno do auxílio-doença, o empregador doméstico não pode demitir o empregado doméstico sem justa causa.Tem que respeitar o prazo previsto na Convenção coletiva de trabalho ou acordo coletivo de trabalho da categoria.

Estabilidade de retorno ao trabalho do trabalhador doméstico após o auxilio-doença acidentário.
E no caso de auxilio-doença-acidentário a legislação assegura ao trabalhador estabilidade de 12 meses após o retorno ao trabalho. Neste caso o empregador doméstico não pode demitir o trabalhador doméstico após o retorno ao trabalho.

Direito a aposentadoria do empregado doméstico.

O empregado doméstico também tem direito as aposentadoria por tempo de contribuição,por idade, por invalidez.

A aposentadoria por tempo de contribuição será devida a empregada doméstica que tenha 30 anos de serviço, seja do sexo feminino e tenha no mínimo 180 contribuições mensais pagas ao INSS, ou 35 (trinta e cinco) anos se do sexo masculino.

Aposentadoria por idade. Será devida ao empregado doméstico que completar 65 anos de idade,do sexo masculino ou a empregada doméstica com 60 anos de idade, com a carência mínima de 180 contribuições ao INSS

Aposentadoria por invalidez; (Carência de 12 contribuições mensais ao INSS) e depende da perícia médica(exame médico – pericial feito pelo INSS) e será devida da data do início da incapacidade ou da data da entrega do requerimento.


Segurado do INSS tem acesso ao resultado da perícia médica na data do exame
1.9 (38.4%) 25 votos

Autor: Doméstico Cidadão
José Carlos do Nascimento, brasileiro, casado, pastor,teólogo, assistente Jurídico, Jornalista,blogueiro, com formação em arbitragem e mediação trabalhista,Perícia Judicial e Assistência Técnica, fundador e presidente da Ong Instituto Brasil Doméstico Cidadão ( Ibradoc), criador dos sites: www.ibradoc.org.br ,www.domesticocidadao.com.br e www.direitostrabalhistas.netJosé Carlos do Nascimento, nasceu na cidade de Álvares Machado - Estado de São Paulo, filho de uma costureira, pai desconhecido, foi criado até os 6 anos de idade pela mãe, depois pela avó materna, dois tios e duas tias.A maioria das mulheres da família exerceram a função de empregadas domésticas, para ajudar no sustento da família.José Carlos durante a sua infância exerceu diversas atividades, desde os 8 anos de idade, como trabalhador rural (popularmente chamado de boia fria ) nas colheitas de amendoim, algodão, plantio de mudas de café. Trabalhou também como pedreiro, carpinteiro, empregado doméstico, departamento pessoal e RH de empresas e escritórios. Nascimento foi Secretário Parlamentar, Presidente de Sindicato, milita em movimentos sociais, como Igualdade Racial, Direitos Humanos e Movimento Sindical, é casado e pai de 4 filhos e dois netos.

Deixe um comentário